Pesquisar este blog

Translate

28.10.11

Ruy Ohtake: Conjunto Residencial Heliópolis

O padrão construtivo de edifícios residenciais de interesse social normalmente é com formas retilíneas, com aberturas pequenas e normalmente em volumes quadrados ou retangulares. Ruy Ohtake cria um projeto diferenciado para esses conjuntos, possuindo uma forma circular bem diferente dos residenciais já existentes.


 Conjunto Residencial Heliópolis

Quando o edifício Quatiara (1972) foi projetado, com 3 banheiros reunidos num círculo com raio de 3,20m e todas as demais áreas flexíveis em torno desse círculo, a intenção foi desenhar um apartamento de baixo custo, de forma circular.
No ano de 2008 a Prefeitura do Município de São Paulo convidou o escritório Ruy Ohtake para o desafio de projetar edifícios residenciais de interesse social. foi retomada a idéia do edifício circular  e desenhados 4 apartamentos por andar, de 49m², com 2 dormitórios. A sala se abre na fachada com largura de 6,50m e amplas visuais para fora. Uma só parede concentra as instalações hidráulicas.









Local do projeto: São Paulo
Data do Projeto: 2008
Em construção



Automatização residencial -> economia de energia

O conceito de sustentabilidade e responsabilidade ambiental são cada vez mais importantes no cenário da arquitetura e da construção civil. A divisão residencial e predial da Schneider Electric apresentou ao mercado brasileiro uma solução direcionada a automação residencial que, além de trazer conforto, é um produto moderno para o gerenciamento do gasto de energia e que não compromete a estética dos ambientes. Usado na Europa há mais de dez anos, o sistema Intelligent Home Control (IHC) garante segurança e eficiência energética de forma integrada, discreta e inteligente.
No Brasil, cerca de 200 residências já utilizam o IHC e esse número cresce significativamente a cada ano. A Schneider Electric já mantém cerca de 45 mil instalações no mundo todo, e os benefícios deste produto podem ser selecionados de maneira personalizada, conforme as necessidades e preferências do morador.

Diversas funções da casa, como climatização, segurança, iluminação e entretenimento podem ser automatizadas por meio de sensores. A automação integra todos os sistemas já existentes na casa, pois as combinações oferecidas pelo IHC são inesgotáveis. Não existe um número limite de sistemas passíveis de integração, assim como não há restrições quanto às funções programáveis. 

Conforto e economia
Equivalente ao consumo de uma lâmpada, o gasto energético do IHC é muito baixo. O controle e as cargas que ele comanda consumiriam o mesmo que o convencional. Porém, com as programações adequadas, é possível reduzir em até 30% o consumo total de energia, dependendo do nível de automação residencial desejado. Um projeto bem-executado determina o ponto ideal entre economia e conforto.

São inúmeras as programações possíveis. O sistema pode dimerizar as luzes, fechar as cortinas e ativar o ar-condicionado quando a televisão é ligada ou ainda acionar a iluminação e o som logo ao abrir a porta de entrada. Quando um ambiente da casa fica vazio, o IHC detecta que não é mais necessária a iluminação. Imediatamente, apagam-se as luzes e os demais dispositivos do local são desativados. Nos ambientes ocupados, o sistema mede a intensidade da iluminação e, se necessário, intensifica a força das lâmpadas ou ativa os motores da cortina para a entrada de luz natural.


A automação otimiza os recursos e utiliza a energia de forma mais eficiente e responsável nos serviços da casa. Por exemplo, um sensor detecta se a terra do jardim ainda está úmida, ativando a irrigação somente quando necessário. Para casas com aquecimento solar, o IHC permite ainda que o usuário programe o melhor gerenciamento do consumo de água quente, de acordo com o número de ocupantes da casa.

Casas inteligentes são mais seguras
O IHC pode ser aplicado também em outras demandas e necessidades dentro de uma casa inteligente. Quanto à segurança, o sistema pode interagir com outros produtos Prime, como uma minicâmera embutida em um espelho 4’’X 2’’ ou uma campainha que funciona por biometria, identificando quem a aciona pela digital. O morador ainda pode receber, via e-mail ou celular, notificações sobre um vazamento de gás ou interromper o fornecimento de água quando ativado o sensor de inundação.

Pessoas com necessidades especiais podem adquirir maior independência com o sistema IHC. Luzes balizadoras facilitam a locomoção de deficientes visuais parciais. Existe ainda a opção de configurar botões que, ao serem apertados por cinco segundos, fazem uma ligação pedindo ajuda. Além disso, dispositivos emitem bips sonoros quando a pessoa se aproxima de objetos e paredes e é possível programar a abertura de portas e janelas por meio de botões.







A casa Inteligente





01. IHC - Central de Automação Residencial
02. Detector de Gás Natural
03. Detector de Fumaça
04. Detector de Inundação
05. Módulo de Potência para Motores 
06. Minuteria
07. Pulsador Bipolar Paralelo
08. Pulsador 
09. Interruptor e Pulsador Bipolar Paralelo com Parada Central 
10. Pulsador com Identificação de Tomada Comandada 
11. Placa-Suporte para Áreas Úmidas 
12. Minicâmera 
13. Central de Distribuição Elétrica: Quadros Mini e Micropragma
14. Controle Remoto 
15. Campainha
16. Dimmer (Variador de luminosidade)
17. Interruptor Automático por Presença 
18. Detector de Monóxido de Carbono 
19. Interruptor por Cartão 
20. Variador Eletrônico para Ventilador
21. Instalações Aparentes 


texto e imagem retirada do site  www.schneider-electric.com.br

Follow by Email

O que se passa:

https://www.facebook.com/S3ArquiteturaEPlanejamento